maio 26, 2009

Despi-me da armadura que antes carregava
Tinha os ombros cansados
Não tenho mais facas e adagas a serem atiradas
Com os punhos doloridos, e olhos vazios, cegos de poeira, seria impossível fazê-lo
As pedras eu deixei pelo caminho
Não podia mais carregá-las
Tinha as pernas fracas e sem vontade de caminhar
Trazia apenas o peito aberto, mente limpa
A breve sensação de liberdade, pele nua e revestida de verdade
Não se faziam necessários gritos de vitória, apenas o silêncio da paz.

maio 25, 2009

Matar é BOM

Matar a sede
Matar a fome
Matar a saudade
Matar a vontade


mas hoje só estou matando aula mesmo.

No fim das contas...

não tem fim
me perco na infinidade de números e letras
que no fim
se tranformam em nomes, datas
que no fim das contas
me lembram você
enfim
não me deixam esquecer.

Nowadays*

Cheguei a uma breve conclusão a respeito da vida:

Há de se agir de acordo com o que o coração pede, a mente pode saber tudo, mas quem manda é ELE. ♥